P4Tree continua evoluindo

14 de março de 2018

Por: Arthur Silva

O fósforo é um macronutriente essencial para diversas funções da planta, desde o crescimento das raízes e folhas até a fotossíntese. Faz parte de absolutamente toda formulação de fertilizantes existentes e sua demanda tem crescido continuamente.

Ao mesmo tempo, uma quantidade significativa de fósforo é descartada pelo homem, seja em processos industriais ou na urina humana.

Partindo desse princípio, foi criada a tecnologia P4Tree, desenvolvida no GRUTAM/UFMG – Grupo de Tecnologias Ambientais – para recuperação do fósforo e sua aplicação como fertilizante. A P4Tree foi desenvolvida dentro de um projeto de pesquisa voltado especificamente para o desenvolvimento de tecnologias inovadoras para tratamento de efluentes. Através de algumas parcerias, foi trazida uma demanda para a recuperação de um nutriente específico: o fósforo.

Além da aplicação em fertilizantes, o fósforo é usado também como conservante na indústria alimentícia e como componente de tratamento de superfícies de carros e alguns eletroeletrônicos, por exemplo, celulares e computadores.

O uso constante e amplo do fósforo vem com um preço: assim como o petróleo, o fosforo é um elemento não renovável. Algumas estimativas apontam que em 25 anos teremos um pico de extração e produção de fósforo no mundo, com a diminuição do teor do fósforo no minério e esgotamento das minas de fósforo em 50 anos.

Há ainda a questão ambiental, em que o acúmulo de fósforo rios, lagos e outros corpos d’água podem causar o fenômeno da eutrofização, com o aumento expressivo de microorganismos, algas e plantas aquáticas, reduzindo drasticamente a oxigenação da água e matando toda a biota local.

Enquanto eram estudadas as fontes de fósforo para recuperação, nos deparamos com a urina humana. As estações de tratamento de esgoto costumam remover apenas os nutrientes dos efluentes usando lodo ativado e depois aterrando, desperdiçando todo o seu potencial. Assim surgiu a ideia da criação de um material que, ao mesmo tempo trata o efluente com excesso de fósforo e se transforma em um fertilizante de performance sustentável, suprindo futuras necessidades do elemento no cultivo de jardins, plantas ornamentais e futuramente hortas e agricultura.

Foram desenvolvidos e testados protótipos de aplicação em testes piloto no Departamento ode Química da UFMG e durante o carnaval de 2018 em Belo Horizonte, uma parceria com a BeloTur permitiu a instalação da tecnologia P4Tree em 6 banheiros químicos em bairros da região centro sul de Belo horizonte. Essa iniciativa atraiu grande atenção de redes de TV e jornais de Minas, que realizaram divulgação dos testes.

Como próximos passos, ainda em parceria com a BeloTur, serão realizados testes com a Fundação ZooBotânica, responsável pelo cuidado com os canteiros públicos e parques, zoológico e jardim botânico de Belo Horizonte.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *